DestaquesNotícias

Vereador Alexandre do Sindicato lamenta terrorismo contra os servidores e destaca importância de decreto para fazer frente aos reflexos da crise nacional

Um dos líderes do Governo na Câmara de Campina Grande, o vereador Alexandre do Sindicato concedeu entrevista na manhã desta segunda-feira (2) à Rádio Arapuan FM. Na ocasião, esclareceu alguns dos principais pontos do decreto do prefeito Bruno Cunha Lima com medidas de austeridade para a máquina administrativa.

Segundo o vereador, este tipo de decreto não tem nada de inédito, mesmo porque outros governos já fizeram isso, tanto em Campina Grande, quanto na própria Paraíba. Por isso, lamentou a forma agressiva como a oposição está tratando a questão do decreto.

Na visão de Alexandre do Sindicato, alguns segmentos se aproveitaram da situação para criar um clima de terrorismo em desfavor dos prestadores de serviço que recebem apenas um salário mínimo. “O decreto está sendo mal interpretado, de forma proposital, mas a população, especialmente os prestadores não devem se amedrontar com uma situação passageira”, afirmou o vereador líder.

Conforme explicou, o decreto é uma mera readequação, não tendo caráter político, pois a crise é nacional e todos os municípios brasileiros estão sendo penalizados com a perda de recursos oriundos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), além de outras receitas.

Ponderando a necessidade de superação da atual crise, o vereador Alexandre destacou que o prefeito Bruno fez a opção mais correta: cortar despesas e não aumentar impostos.

“Além disso, a culpa por tal situação não é do Município. Felizmente, estamos com um governo que também não aumenta os impostos, ao contrário de outros entres administrativos, a exemplo do governo estadual”, acrescentou.

Por fim, lembrou que o governo de Bruno levou Campina Grande a uma situação de organização econômica e financeira, com servidores recebendo em dia, como também os fornecedores da prefeitura.

Para Alexandre do Sindicato, o Município tem tudo para superar qualquer dificuldade momentânea, mesmo porque a cidade ganha novas obras e os serviços públicos estão em plena normalidade.

Codecom



Botão Voltar ao topo