SOS Paróquia: devido a pandemia, Padre de Pocinhos diz que abriu mão do salário e usou todo dinheiro de reformas, para comprar cestas básicas e pagar as despesas da paróquia

 

O Padre Dezenilton Santos, administrador paroquial  de Pocinhos, comentou, durante participação no programa Caturité nos Municípios, da Rádio Caturité FM 104.1, como as missas estão voltando aos poucos no município. O sacerdote pontua que a paróquia tomou inúmeras medidas preventivas, como: Instalação de dispensador de álcool em gel e lavatórios; Aquisição de máscaras e protetores faciais para as pessoas que estão na acolhida; Aferição da temperatura das pessoas que estão entrando na igreja; Distância demarcada nos bancos e a não formação de filas durante a comunhão eucarística.

“Mesmo com todos esses cuidados, eu ainda fiquei um pouco receoso, me questionando se ainda era o tempo”, disse o Padre Dezenilton. “Mas nas últimas semanas eu me tranqulizei”, sublinhou o sacerdote, pontuando que há outros lugares de maior aglomeração e que as pessoas não tomam as medidas devidas. “Os cuidados que estamos tendo são necessários, e estamos observando toda essa situação com muito cuidado e critério”, diz o religioso, informando que pode rever a questão das missas, no decorrer da pandemia.

Na conversa com o jornalista Ubiratan Cirne, o padre dissec que orientou às pessoas idosas a não irem às missas, já que fazem parte do grupo de risco, e acompanhem as celebrações de casa. Outra medida adotada foi a dispensa para crianças, inclusive Padre Dezenilton diz que as missas estão sendo celebradas sem a presença de coroinhas, não faz uma escala para os leitores. Os ministros da Eucaristia utilizam luvas, que logo após a comunhão é descartado. “Inclusive estamos tendo muito gastos com luvas, papel-toalha e álcool. São situações que nós tivemos que criar para esse momento”, disse.

O sacerdote ainda pontua que as missas não estão sendo feitas nas capelas, apenas na igreja matriz, e estuda a possibilidade de missas nas capelas dos distritos de Pocinhos, mas que para a atual situação financeira essa volta ficaria inviável, já que por mês o investimento é de R$ 2,5mil a R$ 3 mil só com a compra de EPI’s.

Os horários das missas, na matriz de Pocinhos, são os seguintes: Sábado 17h e 19h30/ Domingo 8h, 17h e 19h30. Lembrando que é preciso agendar antes, pelo telefone da secretaria paroquial: 3384 1298.

RECEITA DE ABRIL

O padre ainda anunciou que toda a receita da paróquia, incluindo dízimos, ofertas e doações para reformas na igreja, TODA A RECEITA, foi revertida na compra de cestas básicas. “Quando ficamos sabendo dessa possibilidade de haver saques, foi uma situação que me deixou aflito, e toda a receita pedimos para reverter em cesta básica. Até orientei os fiéis a não levar o dízimo em dinheiro na secretaria, e comprar cestas básicas, inclusive até indiquei os comércios de Pocinhos que vendiam”, pontuou.

Com a ausência de fiéis e redução em quase 70% do dízimo, está encontrando dificuldades de cobrir as despesas mensais que chegam a R$ 18 mil, por isso apela para que os paroquianos, que por conta da pandemia, evitam sair de casa, para que liguem para a secretaria paroquial (83) 3384-1298, pois um funcionário irá até a residência pegar susa contribuição, como também fez apelo para quem puder fazer doações, possam fazer de forma presencial ou na conta da paróquia, agência 2469-4; conta 5879-3- Cnpj-08704413/0025-38( Mitra Dioceasana de Pocinhos)

 

Para cobrir as despesas da paróquia, foi preciso recorrer ao dinheiro em caixa para as reformas. “Muito mais ajudar as pessoas com alimentos, do que garantir a tinta de parede. Pagamos as despesas do mês de abril com esse recurso das reformas da igreja”, disse.

O Padre lembrou que a paróquia distribuiu muitas cestas básicas, até mesmo na zona rural. Para continuar as atividades da igreja, o sacerdote pede ao Povo de Pocinhos, especialmente aos dizimistas, que se mantenham fiéis a contribuição, e entre em contato com a secretária da paróquia, caso possa ajudar de alguma forma.

POLÍTICA

O Sacerdote ainda disse que esteve conversando com as duas principais lideranças políticas de Pocinhos: O prefeito Claúdio Chaves e o deputado estadual Adriano Galdino, para colocar em prática uma campanha nos bairros e ruas do município, alertando a população para o voto consciente e para a importância de não vender o voto nas eleições. O Padre diz que devido a questão financeira, não utilizará material gráfico, que inclusive chegou a receber propostas financeiras dos dois lados para financiar o material, mas preferiu não aceitar. “Até pra manter a neutralidade”, explica.

Texto- jornalista Renato Araújo- Fotos- Ubiratan Cirne

Load More Related Articles
.