SOLIDARIEDADE: após demissão de Tito Lívio, Diretor técnico do Trauma pede afastamento

Gilney Porto pede afastamento após demissão de médico

Após uma suposta demissão “política”de médico-cirurgião do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, o diretor técnico Gilney Porto pediu afastamento. O pedido de demissão foi feito através de ofício, na tarde desta quinta-feira (27), e entregue à direção do hospital, um dia após a demissão do cirurgião Tito Lívio, sem justa causa.

Tito é cunhado do pré-candidato a prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, o que aumenta a especulação sobre o desligamento profissional, já que o cirurgião sequer foi informado previamente da decisão administrativa.

Na manhã desta quinta, repercutiu, em Campina Grande, o posicionamento do secretário de saúde de Campina Grande, Filipe Reul, que repudiou a demissão do médico. De acordo com Reul, a única justificativa seria “uma perseguição politica”, já que Lívio é cunhado de Bruno Cunha Lima.

“Quero deixar aqui registrado o meu repúdio. A forma com que foi tratado o excelente profissional que é o Dr. Tito Lívio, afastado ontem do Hospital de Trauma apenas por ser cunhado de um dos pré-candidatos a prefeito de Campina Grande. Ele é um dos profissionais mais bem avaliado e que mais faz cirurgia no Trauma. Uma demissão sem qualquer justificativa, apenas por conduta pequena e politicagem rasteira. Transmito minha solidariedade ao Dr. Tito e digo que pode contar com a Secretária de Saúde de Campina Grande nesse momento tão difícil”, disse.

Reul ainda acrescentou que uma demissão com caráter de perseguição resulta em enfraquecimento do SUS na cidade.

(Blog  Paraiba todo dia)

Load More Related Articles
.