SAÚDE : Conselho Regional de Medicina avalia condições da UTI neonatal do Isea e libera unidade para funcionamento normal

Prefeitura já investiu mais de R$ 5 milhões na maternidade, que é referência estadual para atendimento à gravidez de alto risco

 

O Conselho Regional de Medicina realizou, nesta terça-feira, 1, uma nova avaliação na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea). Com a verificação de atendimento da unidade a todos os pré-requisitos de funcionamento de forma segura e salubre para pacientes e profissionais, o CRM decidiu pela desinterdição ética do serviço.

Para atender às demandas do CRM, a Secretaria de Saúde de Campina Grande realizou um amplo processo de higienização e desinfecção do local, já que havia a suspeita da presença de uma bactéria de alta resistência na UTI neonatal.

A interdição ética suspendia o acolhimento de novos pacientes no ambiente. Por isso, a Secretaria Municipal de Saúde contratualizou vagas de internação em UTI para recém-nascidos na rede particular até que o problema fosse resolvido.

A Secretaria de Saúde de Campina Grande vem fazendo um amplo trabalho de expansão da maternidade e de conformação da estrutura do prédio às novas exigências dos órgãos de controle da saúde.

O Isea realiza mais de 7 mil partos por ano e quase 70% das gestantes são de outros municípios. Desde 2013, já foram investidos mais de R$ 5 milhões na infraestrutura do espaço, que ganhou novos leitos, uma nova recepção, Casa da Gestante, Centro de Parto Normal, UTI materna, ampliação de UTI neonatal, entre outras melhorias.

Load More Related Articles
.