Saúde antecipa vacinação de trabalhadores de educação e autoriza imunização da população geral por idade

 

O prefeito Bruno Cunha Lima, que há tempo defende  a vacinação dos profissionais da educação comemorou a decisão em suas redes sociais

Ministério da Saúde antecipou a vacinação contra a covid-19 para os trabalhadores de educação. Além disso, a Pasta autoriza a imunização da população em geral por ordem decrescente de faixa etária, após conclusão da vacinação dos grupos prioritários mais vulneráveis e trabalhadores de educação.

O ministério começará a enviar doses aos estados, de forma escalonada, para atender a esse público, juntamente com outros grupos prioritários definidos pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).

A motivação da priorização dos trabalhadores da educação se deve aos impactos sociais ocasionados pela covid-19 com a necessidade de volta às aulas presenciais. As creches e escolas contribuem não só para a educação de milhares de brasileirinhos como também garantem a segurança alimentar das crianças.

No caso dos trabalhadores de educação, a orientação é seguir essa ordem de prioridade: creches, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e Educação de Jovens e Adultos e, na sequência, trabalhadores da educação do ensino superior.

“Nós tivemos diversas discussões em relação ao reordenamento do PNO, mediante alguns relatos de estados e municípios terem, neste momento, demanda reduzida. A gente não pode deixar a vacina estocada. Então, resolvemos flexibilizar um pouco essa ação com o objetivo de acelerar a vacinação dos grupos prioritários”, afirmou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, durante coletiva de imprensa sobre o tema nesta sexta-feira (28).

Para além dos grupos prioritários, entre eles os trabalhadores da educação, o Ministério da Saúde também autoriza paralelamente a vacinação da população geral, de 18 a 59 anos. Para iniciar a vacinação da população em geral, terá que ser verificada a situação de cada localidade.

Assim que completar a vacinação dos grupos mais vulneráveis (pessoas com comorbidades e gestantes e puérperas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, pessoas em situação de rua, funcionários do Sistema de Privação de Liberdade e população privada de liberdade) e trabalhadores de educação, é possível iniciar a vacinação por faixa etária, desde que a vacinação dos grupos prioritários restantes seja mantida e cumprida, de acordo com a ordem estabelecida pelo PNO.

“O PNI vai atender o segmento em continuidade ao PNO, e vai também atribuir um percentual por faixa etária, começando da faixa etária mais velha para a mais jovem. Pois quanto maior a faixa etária maior o risco de complicações e óbitos. Com isso, segue-se o mesmo critério utilizado para definição dos grupos prioritários”, disse a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fontana.

As recomendações foram pactuadas na Comissão Intergestores Tripartite (CIT), realizada nesta quinta-feira (27/5), com representantes do Ministério da Saúde, estados e municípios. As orientações também estão em uma nota técnica do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Marina Pagno
Ministério da Saúde
(61) 3315-3580 / 2351

Saúde e Vigilância Sanitária
Load More Related Articles
.