Prefeitura monitora crise interna entre empresa e funcionários da Limpmax, e exige solução imediata à paralisação temporária do serviço de coleta em Campina Grande

Firma prestadora de serviços da Sesuma garante normalização do trabalho, após resolver pendências com vale-refeição dos servidores

 

A Prefeitura de Campina Grande monitorou de perto, na manhã deste sábado, 11, a mobilização dos servidores da empresa privada Limpmax, que presta serviços de coleta de lixo em Campina Grande, pela reivindicação de pagamentos atrasados de vale-refeição. Apesar de estar absolutamente em dia com o pagamento à Limpmax, o prefeito Bruno Cunha Lima designou o secretário Municipal de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Geraldo Nobre, para acompanhar de perto as negociações, pelo reflexo direto num serviço essencial à cidade.

O empresário Tiago Cartaxo, diretor da Limpmax, explicou ao prefeito e ao secretário Geraldo Nobre que a crise interna já estava sendo resolvida, lamentando que o sindicato da categoria tenha decidido por uma paralisação temporária em protesto a uma situação em vias de bom êxito.

Segundo a Limpmax, na última quinta-feira, 8, foi depositado o dinheiro equivalente ao vale compras dos agentes de limpeza para o Bradesco, e, possivelmente por falha no sistema ou outro motivo, o banco não fez o repasse à empresa que administra estes cartões, causando este problema.

Geraldo Nobre pediu desculpas à população pelos transtornos causados, mesmo sem a Prefeitura ter qualquer responsabilidade direta com a crise interna. Ele assegurou que a Sesuma, se for necessário, usará seus equipamentos e servidores para reforçar a coleta neste final de semana.

Codecom

Load More Related Articles
.