CidadesDestaques

Prefeitura de Campina Grande incentiva criação de hortas comunitárias nos distritos e na zona rural do Município

O projeto “É Preciso Plantar” será voltado à garantia alimentar e aumento da renda das famílias que vivem e dependem do campo.

A Prefeitura de Campina Grande, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri), iniciou um novo projeto de hortas comunitárias, denominado “É Preciso Plantar”. O projeto terá suporte de engenheiros agrônomos e técnicos da Seagri, como também receberá insumos disponibilizados pelo Município.

O projeto vai contemplar os distritos de Catolé de Boa Vista, Galante e São José da Mata, objetivando capacitar e oferecer aos agricultores do Município condições para plantar e colher legumes e verduras 100% orgânicos, cuja produção será destinada ao consumo de suas famílias. Já o excedente dessa produção poderá ser vendido em feiras livres ou até mesmo à Prefeitura de Campina Grande, sendo destinada ao reforço da merenda escolar da rede municipal de ensino.

A primeira reunião, coordenada pelo secretário municipal de Agricultura, Renato Gadelha, ocorreu no último final de semana com a presença de famílias de agricultores. O encontro foi na sede da Associação dos Trabalhadores Rurais do Assentamento Pequeno Richard (ATRAPR), localizada na zona rural do Distrito de Catolé de Boa Vista.

De acordo com Gadelha, o projeto “É Preciso Plantar” surge da necessidade do homem do campo em consumir um alimento orgânico livre de pesticidas. “A Seagri já realiza o projeto “Hortas Urbanas”, que contempla casas filantrópicas, a exemplo da Apae, Casa do Menino, Instituto São Vicente, Casa João Moura e Hospital Pedro I, além do já existente “Projeto Plantar”, que funciona em parceria com a Secretaria de Educação do Município (Seduc), entre outros”, disse Gadelha.

Os projetos são acompanhados pelos engenheiros agrônomos e técnicos rurais da Seagri, desde a localização e preparação dos canteiros, doação de sementes e plantio, chegando até ao processo de colheita. As ações têm a participação, direta e indiretamente, dos estudantes, pacientes e/ou funcionários das instituições beneficiadas. “Nossa missão agora é oferecer a oportunidade aos moradores da zona rural, reunindo-os em sistema de cooperativas, onde todos possam plantar e colher legumes e verduras livres de contaminação”, disse o secretário Renato Gadelha.

Segundo o engenheiro agrônomo Herbert Donato, nesta nova etapa de hortas comunitárias, os agricultores que participarem diretamente do projeto poderão plantar e usufruir gratuitamente do cultivo do coentro, alface, batata doce, pimentão, tomate cereja e rúcula, entre outros. Segundo ele, todas as comunidades e assentamentos poderão se inscrever no Projeto. “As hortas ficarão nas proximidades de açudes ou de dessalinizadores comunitários, a exemplo do que está sendo concluído no assentamento Pequeno Richard”, destacou.

ALGODÃO

Durante a reunião, o titular da Seagri aproveitou a ocasião para apresentar aos moradores do Assentamento Pequeno Richard o Projeto Algodão Orgânico, que também recebe o apoio e incentivo do prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima. Esta iniciativa já vem alcançando sucesso em várias partes da zona rural de Campina Grande, oferecendo ao homem do campo desde o corte de terra, a semente, o acompanhamento técnico, além da sacaria e da venda e lucro garantido.

Renato Gadelha ressaltou que as inscrições para o Projeto do Algodão vão até a próxima sexta-feira, 15 de dezembro, com vistas para a safra de 2024. As inscrições podem ser feitas na Seagri, localizada na rua Duque de Caxias, 83, bairro da Prata, ou pelos telefones (83) 98131 5657, (83) 99916 4322 ou (83) 98833 1286.

Codecom



Botão Voltar ao topo