Prefeitos voltam a decretar ‘toque de recolher’ após aumento de casos de Covid-19 na Paraíba

 

-Esperança-PB

Parece um déjà-vu. Mas uma triste realidade de aumento de casos confirmados e óbitos em decorrência da Covid-19, após um novo período de flexibilizações, já é realidade para algumas cidades da Paraíba. Realidade que demonstra que março não serviu de exemplo e que em abril, com novos decretos, gradativamente menos restritivos, a população ‘afrouxou’ nos protocolos sanitários.

O problema ganha dimensão de alerta para outras cidades paraibanas, em especial, após a fala do secretário executivo da Saúde, Daniel Beltrammi, em entrevista à TV Cabo Branco ontem (10).

Segundo Beltrammi, essa rotina de estabilidade nas notificações de casos confirmados e óbitos relacionados à Covid-19 não é um dado positivo, na medida em que eles ainda estão bem altos para serem tratados com normalidade.

Freio dos prefeitos

Nesse ritmo, mesmo cidades classificadas em bandeira amarela de acordo com o Plano Novo Normal estão tendo que rever as medidas restritivas para se adequar a essa realidade. O primeiro caso foi em Esperança, no Agreste paraibano. Lá, o prefeito Nobinho atendeu à recomendação da Ministério Público da Paraíba para reeditar novo decreto com medidas restritivas depois de os casos triplicarem entre março e abril.

Nesta segunda-feira (10), chega ao conhecimento mais outras duas tendo que enfrentar retrocesso na flexibilização para tentar frear o avanço da Covid-19: Barra de Santa Rosa e São José dos Cordeiros.

Em Santa Rosa, uma espécie de ‘lockdown’ entra em vigor a partir desta terça-feira (11). O prefeito Neto Nepomuceno explicou que tudo estará fechado pelos próximos 15 dias devido a uma curva crescente de casos de Covid-19 por causa do desrespeito das pessoas às regras de proteção para evitar o contágio. O município acumula, desde o início da pandemia, 768 casos positivos da doença e 4 mortes.

Já em São José dos Cordeiros, o prefeito Felício Queiroz anunciou hoje medidas mais restritivas e ‘toque de recolher’ durante as noites. Bares e restaurantes também só funcionarão por delivery até às 20h. O município tem 88 casos registrados e 4 mortes em decorrência da Covid-19.

Na mira do Ministério Público também está a prefeitura de Ingá, que também aumentou vertiginosamente o número de casos nas últimas semana. Lá, no entanto, ainda não foi tomada nenhum medida restritiva de isolamento social. A cidade apenas segue com a vacinação.

‘É preciso estar atento e forte’

Fato é que ainda não estamos em tempo de se ludibriar com o avanço da imunização e achar que as medidas de flexibilização de comércio e serviços das prefeituras são um tipo de habeas corpus para andar por aí sem máscara, desrespeitando os protocolos sanitários.

A Covid-19 ainda é bem real, caminha bem próximo a nós, ainda com os mesmos riscos e efeitos nocivos que nos rondam há mais de um ano. Não é hora de baixar a guardar nesta guerra.

( Jornal da Paraiba)

 

Load More Related Articles
.