Prefeito de Pocinhos faz um resumo da gestão e das obras que estão em execução no município

 

O prefeito de Pocinhos, Cláudio Chaves da Costa, disse em entrevista ao programa Caturité nos Municípios, da Rádio Caturité FM 104.1, que sua gestão “ tem a preocupação de melhorar a situação de Pocinhos, diferente de muita gente que não quer saber. Esse pessoal de copa do mundo, que só chega de quatro em quatro anos em Pocinhos”. Ele   lamenta que Pocinhos seja penalizada por brigas políticas, especialmente por lideranças da oposição no município.

Cláudio pontuou que tudo que é do Governo do Estado em Pocinhos, a exemplo do prédio da Escola Afonso Campos,  está abandonado e sem utilidade, pelo fato de não querer fazer parcerias com a Prefeitura.“A gente tem buscado parceria, mas infelizmente, muitas vezes, a recíproca não é verdadeira. Nós estamos aí, prontos. Eu sempre digo que se ajudar Pocinhos, tem o nosso apoio total. Um dos exemplos disso é o prédio da antiga escola estadual Afonso Campos, que quem passa por ali vê aquele prédio caindo e abandonado. Algo triste de se ver”, diz o chefe do executivo pocinhense.

O prefeito ainda esclareceu alguns fatos que foram colocados em lives, como o de que o prefeito precisava fazer quadras nas escolas, algo, que segundo ele, já está fazendo. Outra denúncia, da oposição foi de que ele precisava fazer ampliação e melhoria nas escolas, algo que também está sendo feito. Claúdio lembra que foi a prefeitura que doou um terreno, para que a escola estadual construa uma quadra. “Eu nunca me neguei a ajudar, ou que eu não faço”, esclareceu Claúdio, acrescentando que foi ele próprio e o presidente da Câmara, vereador Jorge Alberto, autor do requerimento,  que fizeram a medição do terreno, feito pelo deputado ao presidente.

“Não é o prefeito, porque o prefeito é quatro anos, mas os benefícios da população continuam a serviço do povo”, destaca Claúdio, pontuando que muitas dessas articulações para o andamento de obras tem o dedo da vice-prefeita Maísa Souto, que apesar de ser uma figura discreta, tem ajudado muito a gestão nos bastidores.

Estamos com as finanças equilibradas, pagando o salário dentro do mês trabalhado.” Quando recebemos a Prefeitura em 2013, tinha um débito de quase R$ 1, 5 mihão e quitamos já no segundo mês, dinheiro que teria dado para calçar pelo menos 30 ruas.

Em entrevista ao jornalista Ubiratan Cirne, relembrou, que em 2017, quando precisou se afastar por questões de saúde da prefeitura, houve um problema na cadeia pública de Pocinhos. A prefeita interina, Maísa Souto, enviou um ofício ao governo do estado, oferecendo um terreno para a construção de uma nova estrutura para a cadeia. “E até hoje nada”, lamentou o prefeito, destacando que o atual prédio vai voltar para o município, já que é da prefeitura, pois a Cadeia “ foi condenada pelos engenheiros e não tem mais condições de receber presos”

 

COVID-19

O gestor pontuou as ações que a prefeitura está desenvolvendo, em virtude da pandemia da Covid-19. Advertiu  que ainda não se tenha um controle efetivo do vírus, mas que o que está ao alcance da prefeitura está fazendo. Essa semana, os agentes de combate as endemias estão visitando os locais públicos, para fazer higienização, e que a partir da próxima terça-feira será intensificado no comércio todo.

A secretária de saúde, e aqui quero ressaltar o trabalho de Roseane Araújo e toda equipe,  está planejando palestras sobre a doença, intensificando as campanhas de conscientização. “Tem gente que pensa, que porque o comércio está reabrindo, que a doença acabou. E aí é que está o mal. Se não for com a ajuda da população, a gente não vai sair dessa pandemia. Se a prefeitura tomar as medidas, mas a população não, a gente não vai ter como controlar a situação”, conclamou o prefeito Claúdio.

OUTROS ANÚNCIOS

O prefeito anunciou a reabertura do matadouro público municipal, para esta semana, e  garantiu quea lguns setores da feira estão sendo reabertos paulatinamente.

A secretaria de educação construiu mini-quadras nas escolas de Santa Terezinha, Maris Preto, Malhada do Rio, Conpel e Boqueirão; O  Distrito de Nazaré, ganhou um novo campo de futebol, academia popular, reforma da escola Castro Alves, que está sendo contemplada com uma quadra coberta, s e várias outras ações e obras. E se Deus permitir vamos iniciar a UBD da comunidade. Ainda na educação, que permanece sem aulas presenciais,  será feita a entrega de cestas básicas com os mais de 3.600 alunos. “ O secretário de educação, professor Júlio César deve anunciar o calendário de entrega a qualquer momento.

 

ZONA RURAL

O patrolamento das estradas está sendo intensificado, foi feita aragem de terra, de dezenas de agricultores, sem nenhum custo para eles; fizemos silagem de rações para o animal, limpamos pequenos e médios barreiros, perfuramos poços, e aquilo que foi possível fazer, fizemos. “ As estradas estadualizadas, que deveriam ser cuidadas pelo DER, somos nós que fazemos’.

Várias ruas estão sendo pavimentadas em alguns bairros pocinhenses, a maioria com recursos próprios, e até o final do seu Governo, vamos continuar trabalhando, inclusive vamos entregar a UBS do Arruda, a quinta no nosso Governo; a segunda creche, que está sendo construída no bairro de Cacimba Nova; uma pracinha na frente do Cemitério, e a revitalização do Açude da rua Emerenciana, como também as quadras do antigo Ipase e Cajueiro.

QUESTIONAMENTOS

O prefeito Claúdio questionou aonde foram gastos os R$ 700 mil para a Escola padre Galvão, no ano de 2012, assim como os recursos que foram destinados ao Hospital de Pocinhos, na gestão do ex-prefeito Arthur Galdino, que inclusive o Tribunal de Contas do Estado(TCE) condenou o ex-gestor, já que o serviço não correspondia com o que estava no projeto do Hospital. “Esse povo esquece, mas a população de Pocinhos não”, sublinhou.

Lembrou que  se o hospital de Pocinhos estivesse funcionando, da maneira que deveria, seria em média 15 cirurgias eletivas por semana, por ano 720 procedimentos. “Mas eles(a oposição) não querem saber disso”, disse o prefeito, pontuando que a prefeitura gasta mensalmente R$ 252 mil com o Hospital, mesmo com a negativa por parte do governo estadual, em mandar recursos para a unidade. Hoje o Hospital depende, apenas, de recursos do governo federa( 50 mil por mês)l. Eu  tentei  por várias vezes, um convênio com o governo do estado, para subsidiar o hospital, mas foi negado essa ajuda aos pocinhenses”.

Sobre as eleições, disse esperar que seu grupo chegue unido até as convenções e lance apenas uma candidatura, “ No momento tempos bons nomes como Hélio Melo, Emanoel Pereira, Maísa Souto ( atual vice), Dr. Jorge, Dr. Bismarck, o presidente do prós, Marcio Guimarães, e nossa intenção é que acontece um consenso, e com isso vencer as eleições”, concluiu.

(Texto Renato Araújo/ Ubiratan Cirne)

 

Load More Related Articles
.