DestaquesParaíba

Maior São João do Mundo 2023: “Se já vi melhor, não me lembro!” Festa junina em Campina Grande chega ao fim celebrando a edição exitosa dos 40 anos do evento

Mais do que números para corroborar a já conhecida grandeza do Maior São João do Mundo
o evento chega ao final gerando entre os diversos atores sociais envolvidos com a festa,
evidências de um sentimento comum de satisfação com a realização de uma edição não
apenas exitosa, mas memorável e divisora na história da forma de realização dos festejos
juninos na cidade de Campina Grande.


O Maior São João do Mundo – 40 anos, ousou em mudar o formato, e com a maturidade de
um quarentão apostou na inovação em busca de melhorias e do alcance de um novo patamar
dentro da escala de classificação turística de eventos. Entendendo que não basta carregar o
título de Maior São João do Mundo, a organização encarou o desafio de realizar uma festa
popular sem igual no planeta, respeitando os requisitos do modelo turístico globalizado, de
maneira a conciliar a sua dimensão cultural, que o trouxe até aqui, com a adequação às
exigências dirigidas aos eventos de padrão internacional.
Para se ter uma ideia dos novos tempos, o último presidente da Embratur que visitou o evento
o fez ainda na sua primeira infância, em 1986, conforme declarou durante visita a Campina
Grande, Marcelo Freixo, que presidente atualmente Agência Brasileira de Promoção
Internacional do Turismo. “O São João não é importante só para Campina Grande, o São João
é importante para o Brasil e eu estou muito orgulhoso de estar aqui, porque a Embratur é
parceira deste São João, desta festa popular tão relevante para a cultura brasileira. A gente
trouxe para cá operadores do turismo que são do Chile, do Peru, da Argentina, entre outros,
porque a gente quer que o turista de fora conheça não só as praias, que são maravilhosas,
mas também o São João, as riquezas do interior, o artesanato, a gastronomia”, pontuou.
Benefícios da oferta de padrão internacional
Quem integra a rede de realização do Maior São João do Mundo sabe que foi internalizado
entre os operadores da festa um nível mais elevado de profissionalismo e avalia que a maior
exigência com a qualidade da entrega beneficia o evento e também quem trabalha para que
ele aconteça. Entre os comerciantes que atuam no Parque do Povo há uma percepção sobre
esse processo de elevação de nível.
“Há uma consolidação do profissionalismo do Maior São João do Mundo e com isso também
a consolidação do empreendedorismo entre os que fazem o evento. Os comerciantes foram
convidados a se reinventarem. Ganha o evento, ganham os comerciantes e essa
profissionalização está sendo conduzida pela Arte Produções que trouxe uma cenografia
jamais vista, uma estrutura excelente e uma programação eclética.”, avaliou Lucinei
Cavalcanti, presidente da Associação dos Barraqueiros.
Padrão de excelência que gera resultados
Os setores da hotelaria e dos restaurantes estão satisfeitos com a festa. Para o presidente do
Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação, Divaildo Junior, O Maior São João do
Mundo 2023 está sendo uma edição de excelência nos mais diversos aspectos que envolvem
o evento. A entidade, que faz pesquisas de opinião no setor hoteleiro e alimentício, só fará a
avaliação numérica pós resultado da coleta e tratamento dos dados, mas empiricamente a
avaliação já é positiva.

“Avaliamos como muito positiva a realização do Maior São João do Mundo 2023, cheia de
sucesso. A empresa organizadora do evento está de parabéns. Entregou um produto de
excelente qualidade visual, excelente layout, excelente qualidade estética, organização,
cumprimento dos horários, segurança, padronização das barracas, enfim, o evento foi um
sucesso completo”, avaliou Divaildo.
Ainda na metade da festa o setor apontou que a taxa de ocupação de leitos na cidade na
primeira semana ficou acima de 60%, superando as expectativas e os números do ano
passado. Um indicador de que a movimentação turística foi proporcional ao investimento feito
no evento para atrair o público externo.
Trata-se de um fluxo extra de pessoas que impacta também no comércio local. Para o
presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Eliézio Bezerra, o evento foi a altura de
uma festa de 40 anos. “Foi um evento muito bom. Uma organização imensa e o Parque do
Povo é uma situação à parte, algo surpreende. O que a empresa entregou foi muito acima da
expectativa. Desde o Palco Cultural, a parte gastronômica, a valorização de todas as barracas
menores, a acessibilidade, a sinalização perfeita, Palco Principal nem se fala. Está no nível
dos 40 anos do Maior São João do Mundo.”, avaliou.
De acordo com Eliézio a realização da festa deste ano é incomparável e o desafio agora é
fazer entregas ainda mais elaboradas do que a de 2023. “Não tem comparação com anos
anteriores. A gente tem que se preocupar agora como vai ser o próximo ano. Uma
responsabilidade ainda maior de toda gestão em relação a entrega que vai ter que ser melhor.
Só tenho o que parabenizar”, considerou.
Sobre os números contabilizados que evidenciam os benefícios do evento para o comércio
local da cidade, Eliézio disse que precisa aguardar para consolidá-los, mas avisou que não
tem dúvidas quanto ao crescimento. “A primeira semana foi muito boa. Muita chuva atrapalhou
a movimentação, mas teremos crescimento sim.”, assegurou.
São João tá diferente. Tá melhor! Operadores da cultura local elogiam a organização
do evento
Integrantes de trios de forró, músicos de bandas contratadas para os diversos palcos da festa
e quadrilheiros já estão em ritmo de despedida do Maior São João do Mundo. Todos
encerrando o evento com gostinho de quero mais, sobretudo porque querem experimentar
mais uma vez um São João que consideraram diferente e melhor.
De acordo com o coordenador geral do Festival de Quadrilhas de Campina Grande, Márcio
Marques, para o segmento dos quadrilheiros a edição de 2023 foi sem igual. “A avaliação é
muito boa. Muito boa mesmo. Acho que surpreendeu a todos nós que fazemos o movimento
de quadrilhas de Campina Grande e de toda Paraíba. Recebemos uma estrutura com nível
muito alto, uma atenção lá em cima, de excelência.”, comemorou.
Para Márcio, o tratamento recebido foi uma expressão da valorização da cultura local. “Tenho
39 anos de quadrilha junina. A gente nunca recebeu esse tratamento, essa estrutura.
Recebemos nosso quadrilhódomo tão sonhado. Estamos bastante felizes.”, enfatizou.
Uma felicidade comum também aos integrantes do trio Roda Pé. Composto por Viriato Júnior,
Joel e Josias do Rojão, o trio existe há 35 anos. Para eles o destaque foi a atenção que
receberam por parte da organização do evento para a realização do trabalho. “Diferente dos

outros anos foi bem positivo. Tivemos uma assistência maior. A atenção com os trios foi bem
bacana”, destacou.
Pela primeira vez na programação do Maior São João do Mundo, a banda Forró Feitiço que
se apresentou no Palco Cultural, está encerrando a participação no evento impressionada
com a dimensão da festa. “É nosso primeiro ano com Forró Feitiço no Parque do Povo e foi
maravilhoso. Um público maravilhoso, animadíssimo, muito turista. O Brasil inteiro em
Campina Grande. Está tudo perfeito. Para melhorar só chamar a gente ano que vem”, concluiu

( Ascom MSJM)

Botão Voltar ao topo