LOTADO: ISEA/CG não tem leito de UTI para Covid-19 e grávidas são transferidas para Pedro I; número de mães que morreram duplicou em 2021

Com 100% dos leitos destinados para o tratamento da Covid-19 completamente ocupados, o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA) já sente a pressão do agravamento da pandemia na cidade de Campina Grande.

Até a manhã desta quinta (20), 07 mulheres grávidas já faleceram em decorrência da Covid-19 e todos os leitos da unidade estão ocupados.

É o que afirmou a médica Suellen Taís(foto), diretora da unidade. “Nós temos 15 leitos destinados para Covid-19, deste total 14 são enfermarias e um leito semi-intensivo. Todos já estão ocupados e se alguma dessas mães tiver agravamento do quadro, é transferida imediatamente para o Pedro I. Essa é a nossa estrutura desde o início da pandemia” afirmou.

Nenhuma das gestantes internadas no ISEA de Campina Grande com Covid-19 chegaram a receber doses da vacina contra a doença.

A médica não escondeu a preocupação com o aumento dos casos de gestantes infectadas e afirmou que a gestão já está adiantando a montagem de um hospital de campanha que deverá ficar pronto até o final do mês. “Serão 12 leitos de enfermaria e 3 de UTI no hospital de campanha que está sendo montado aqui mesmo no ISEA, mesmo assim, é importante que a comunidade entenda que temos limitações, inclusive de equipes de saúde. É importante continuar se prevenindo contra o novo coronavírus” completou Suellen Tais.

( blog do Márcio Rangel)

 

Load More Related Articles
.