DestaquesPolicial

Empresário Edson do Tomate é preso novamente, desta vez por tentativa de homicídio

O empresário, Edson do Tomate, foi preso na manhã desta quarta-feira (25) pela Polícia Civil (PC) na sua residência, em Soledade, acusado de tentativa de homicídio contra um ex-funcionário da cidade de Cubati, na segunda fase da Operação Justiça Sangrenta.

Também foi preso o seu irmão, Israel, conhecido como Rará, e Batista do Caminhão, ambos residentes na cidade de Cubati.

O mandado de prisão é temporária e vale por 30 dias, podendo ser renovado, se necessário, uma única vez por igual período.

O juiz ainda pode, segundo o Código de Processo Penal de 2015, e se houver elementos, converter a prisão temporária em preventiva.

De acordo com a delegada da 23a Delegacia Seccional de Polícia Civil (DSPC), dra Mairan Moura, por volta das 18h40 de 14 de fevereiro de 2022, Rará e Batista, a mando de Edson, teriam tentado matar José Alexandre, 37 anos, que estava trabalhando com o seu pai na agricultura em sítio no município de Cubati, efetuando um disparo de arma de fogo contra a vítima, que conseguiu escapar sem ser alvejada.

O motivo da tentativa de homicídio, seria o fato de José Alexandre ter ingressado com uma ação trabalhista em face de Edson do Tomate na Justiça e ganhado uma ação no valor aproximado de R$ 40 mil.

Irritado com o fato, segundo o inquérito policial, Edson teria mandado dar cabo do agricultor.

José Alexandre, após o ocorrido, se mudou da Paraíba para residir em outro Estado.

Alguns meses atrás, Edson, Rará, Batista eais dois suspeitos, já haviam sido presos acusados de participação em um duplo homicídio também ocorrido na zona rural de Cubati.

Na oportunidade, dois tratoristas foram mortos a tiros no sítio Golpe D’água, enquanto cortavam terras para agricultores a serviço da Prefeitura.

O trio foi solto após o fim da prisão temporária naquela época.

Nas prisões desta quarta-feira, eles foram apresentados na Central de Polícia, em Campina Grande, e depois levados ao presídio do Serrotão, onde permanecerão a disposição da Justiça.

( Heleno Lima)



Botão Voltar ao topo