DestaquesParaíba

Casos de Covid-19 sobem 551% na Paraíba e estado fecha o ano com 62 mortes provocadas pela doença

 O final de 2023 apresentou um dado importante para que a população não se descuide com a Covid-19. Conforme boletim epidemiológico divulgado, ontem, pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o mês de dezembro encerrou com um total de 3.594 casos confirmados da doença, um salto de 551% em relação aos casos positivos registrados em novembro, 552 casos confirmados. O ano de 2023 foi encerrado com 9.609 casos confirmados da doença pandêmica no estado.

Ainda de acordo com o boletim epidemiológico, até o dia 30 de dezembro observou-se uma predominância da doença na faixa etária acima de 40 anos nos casos confirmados com 58,91%. A maior parte dos casos, considerando as regiões, foram em João Pessoa (28,22%), Campina Grande (10,20%) e Bayeux (6,42%). Outro dado relevante indicado pelo boletim epidemiológico 01/2024 foi o número de mortes pela doença.

Porém, mesmo com o aumento do número de casos na Paraíba para o mês de dezembro, apenas cerca de 5% do total de casos em todo o ano passado foram considerados graves. Ou seja, dos 9.609 confirmados de Covid-19, apenas 432 ocasionaram algum nível de internação hospitalar em 2023.

Em todo ano de 2023 foram registrados 62 mortes por Covid-19, sendo 15 deles confirmados somente no mês de dezembro do ano passado. “As comorbidades presentes foram diabetes, hipertensão, cardiopatia, obesidade e outros fatores. Em relação à faixa etária, a idade mínima de 19 anos e máxima de 91 anos”, informou o boletim publicado. Das vítimas de dezembro, 10 tinham esquema de vacina com três doses, dois estavam com esquema incompleto e três não tinham sido vacinadas.

Além dos casos confirmados de morte no ano passado, há 11 óbitos em investigação nos municípios que residiam: João Pessoa (três), Baía da Traição (um), Bayeux (um), Cabedelo (um), Guarabira (um), Pirpirituba (um), Santa Rita (um), São José dos Ramos (um) e Sapé (um).

O crescimento de casos positivos no final do ano passado, no entanto, ainda não é visto pela SES como um reflexo de um possível nova variante detectada em estados vizinhos, como é o caso de Pernambuco. Entretanto, o boletim epidemiológico, produzido pela Gerência Executiva de Vigilância em Saúde, defendeu que a testagem precisa continuar para que possíveis novas variantes sejam identificadas a fim de mudar o cenário epidemiológico da Covid-19.

“Até outubro de 2023 foram sequenciadas 416 amostras. A análise demonstrou que todas pertenciam a variante Ômicron com 33 diferentes linhagens detectadas. Até o momento não temos a identificação no Estado da Paraíba das linhagens JN.1 da BA.2.86 do SARS-CoV-2 identificada no Ceará, entre 29 de outubro e 18 de novembro. Essa variante e suas linhagens também já foram identificadas em São Paulo e Mato Grosso do Sul”, explicou o boletim.

( blog coisas de cajazeiras)

 



Botão Voltar ao topo