DestaquesNotícias

Campina Grande conquista, no Ministério da Fazenda, aval para o financiamento de 52 milhões de dólares junto ao Fonplata

Recursos serão aplicados em grandes obras de infraestrutura do Município ainda neste ano.

A Prefeitura de Campina Grande conseguiu aprovar, no âmbito da Secretaria do Tesouro Nacional, vinculada ao Ministério da Fazenda, o financiamento de 52 milhões de dólares para aplicação em obras de infraestrutura. A comunicação sobre a aprovação foi feita ao Município pela STN nesta segunda-feira, dia 1.

De acordo com o comunicado da Secretaria da Fazenda, o Município conseguiu cumprir todas as etapas técnicas para viabilizar o aval do governo federal para o financiamento internacional, incluindo o envio da documentação imprescindível que atesta a total capacidade de pagamento ao longo de 20 anos.

Para o prefeito Bruno Cunha Lima, que vinha acompanhando com grande expectativa a liberação desse financiamento para Campina Grande, trata-se de uma vitória importante para a cidade, que poderá tirar do papel uma série de projetos estruturantes de grande impacto social. Ele agradece o empenho de sua equipe e também registra o papel de destaque da Câmara de Vereadores na aprovação do pedido de financiamento internacional.

Para o secretário Gustavo Braga, das Finanças de Campina Grande, a confirmação desse financiamento internacional tem um valor que vai além dos recursos disponíveis para aplicação em projetos já definidos. “É o esperado resultado de um trabalho criterioso, sério e focado da gestão de Bruno Cunha Lima, no âmbito fiscal, já no primeiro ano de governo, tornando o Município apto a contrair empréstimos em condições plenamente favoráveis”, destaca.

As intervenções melhorarão as condições de mobilidade, promoverão a geração de emprego e o desenvolvimento econômico, minimizarão os riscos de inundação nos bairros vulneráveis, por meio da implementação de sistema de drenagem e saneamento, preservando as zonas de patrimônio histórico, cultural e ambiental da cidade.

Codecom



Botão Voltar ao topo