CidadesDestaques

Campina Grande chega ao final do ano com gestão fiscal saneada e capacidade bilionária de acesso a investimentos, em 2022

Prefeito Bruno Cunha Lima detalha rigoroso trabalho da equipe econômica do Município e destaca efeitos positivos para as próximas gestões e a ampliação da geração de empregos

A Prefeitura de Campina Grande vive uma nova fase administrativa graças à renegociação e redução de dívidas, como também a uma arrojada política de responsabilidade ou reorganização administrativa, orçamentária, fiscal e financeira. Com isso, Campina Grande agora se destaca no cenário nacional por ser uma cidade de baixo risco para investimentos e de alta lucratividade. Foi o que assegurou o prefeito Bruno Cunha Lima, na manhã desta quarta-feira, 29, durante entrevista coletiva, na qual projetou, já para os próximos anos, a possibilidade de captação de recursos públicos e privados da ordem de até R$ 1 bilhão, a serem investidos em setores como saúde, mobilidade, infraestrutura, educação, segurança, governança, empreendedorismo e sustentabilidade.

Segundo o prefeito – que esteve acompanhado na mesa pelo vice-prefeito Lucas Ribeiro e pelo secretários Gustavo Braga e Felipe Gadelha (titular e adjunto das Finanças) e Félix Neto (Planejamento), este novo momento é fruto de um grande esforço do núcleo econômico do governo. O prefeito destacou e pediu palmas para a condução do trabalho por Braga e a equipe da Sefin. Ao longo de 2021, primeiro ano da atual gestão, houve redução de mais da metade da dívida pública, com o registro da queda de 80% para 37% do comprometimento da receita municipal. Só com a diminuição de duas dívidas contraídas junto a bancos e à Receita Federal, a cidade conquistou uma economia de meio bilhão de reais. Como consequência, o novo cenário de credibilidade financeira cria um ambiente propício para a captação de recursos internacionais e nacionais, nos setores público e privado, além do acesso às transferências governamentais.

Bruno informou que, graças à abertura das portas de crédito, pois o Município conquistou junto ao Ministério da Economia a emissão da Certidão Negativa de Débitos, logo nos primeiros meses de 2022 Campina Grande receberá grande soma de recursos para investimentos. A partir de abril, por exemplo, já existe previsão para a liberação de R$ 120 milhões, por parte da Caixa Econômica Federal; e de mais R$ 100 milhões a serem captados junto ao Banco do Brasil, possíveis por conta do novo status fiscal conquistado por Campina Grande.

“Apesar das enormes dificuldades do ano que se encerra, posso anunciar como grande conquista o reequilíbrio fiscal e financeiro do governo municipal, representando uma histórica vitória para a nossa e as futuras gerações, uma vez que agora teremos condições de concretizar metas e atender demandas antigas da nossa cidade. Temos, enfim, condições de pagar as obras futuras em vários campos administrativos”, afirmou o prefeito, destacando que essa conquista em nada desmerece o importante trabalho feito por seu antecessor Romero Rodrigues e outros ex-prefeitos.

Nota A

Ao comemorar o final do ano com o anúncio de que Campina Grande cumpriu rigorosamente o seu planejamento fiscal, nada devendo a fornecedores – excetuando-se, pela obviedade do momento pandêmico a Secretaria de Saúde – Bruno também lembrou que, no ranking nacional do Ministério da Economia, a cidade agora desponta de forma inédita com o conceito A, sendo este um reconhecimento da capacidade de pagamento (liquidez orçamentária). “Este feito vai gerar frutos ao longo dos próximo anos, possibilitando-se a melhoria da qualidade de vida de todos os campinenses”, concluiu, com otimismo, o prefeito.

A entrevista coletiva do prefeito Bruno Cunha Lima teve o acompanhamento também dos secretários Gilbran Asfora (Chefia de Gabinete), Cledson Rodrigues (Sejel), Giseli Sampaio (Cultura), Renato Gadelha (Agricultura), Walker Neves (Semas), João Dantas (Executivo da Cultura) e Rosália Lucas (Desenvolvimento Econômico), além do superintendente da STTP, Carlos Dunga Júnior; da presidente Alana Carvalho (Amde); do coordenador Marcos Alfredo (Codecom); e do vereador Alexandre do Sindicato, líder do Governo.

Codecom

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo