DestaquesNotícias

Arquidiocese da Paraíba emite nota sobre prisão de padre Egídio e afirma estar colaborando com investigações

A Arquidiocese da Paraíba, instituição que comanda a Igreja Católica no estado, emitiu nota na manhã desta sexta-feira (17/11) se manifestando sobre as investigações do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público da Paraíba (MPPB) que apuram desvios de recursos públicos operacionalizados através do Instituto São José, responsável pelo Hospital Padre Zé, e da Ação Social Arquidiocesana.

Em decisão proferida ontem, o desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça (TJPB), atendendo recurso do Gaeco, expediu mandado de prisão preventiva contra o padre Egídio de Carvalho Neto, ex-diretor do Hospital Padre Zé em João Pessoa e apontado pelo Ministério Público como líder de um esquema criminoso que teria desviado cerca de R$ 140 milhões em recursos públicos da instituição. Os mandados de prisão também são direcionados contra a ex-tesoureira da instituição Amanda Duarte Silva Dantas, e a ex-diretora administrativa Jannyne Dantas Miranda e Silva.

Na nota, a Arquidiocese da Paraíba declara estar “colaborando integralmente com as investigações em curso, respeitando o segredo de justiça estabelecido pelas autoridades competentes”.

“Quanto ao processo da esfera penal, com recurso em tramitação perante o Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, especialmente a determinação de prisão de alguns envolvidos, dentre estes o Cônego Egídio de Carvalho Neto, esclarecemos que todos detêm advogados habilitados, sendo estes responsáveis pela defesa e interesses de seus clientes”.

Já no que diz respeito ao processo canônico envolvendo padre Egídio, o procedimento foi instaurado em 27 de setembro de 2023 “e está seguindo seus trâmites normais”, diz a instituição religiosa.

“Reforçamos nosso compromisso com a transparência e manifestamos total apoio às autoridades competentes, colaborando de forma irrestrita para que toda a verdade sobre os eventos em questão seja esclarecida”, acrescenta a nota divulgada pela Arquidiocese paraibana.

O padre Egídio de Carvalho Neto foi afastado dos seus ofícios e encargos eclesiásticos pela Arquidiocese enquanto durarem as investigações que apuram desvios de verbas no hospital durante sua gestão, que teve início em 2013.

Ele renunciou ao cargo de diretor do hospital no dia 18 de setembro, em meio a investigações da Polícia Civil. No dia 25 de setembro, o Padre George Batista foi eleito como novo diretor da unidade hospitalar em assembleia realizada no Hospital Padre Zé, na capital. Toda a diretoria anterior renunciou e os novos dirigentes assumiram a direção imediatamente.

Confira na íntegra a nota oficial da Arquidiocese da Paraíba:

Nota de Esclarecimento

A Arquidiocese da Paraíba, consciente de sua responsabilidade e compromisso com a transparência e integridade, vem, por meio desta nota, esclarecer as notícias que estão sendo veiculadas nos meios de comunicação a respeito das investigações conduzidas pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO).

Informamos que estamos colaborando integralmente com as investigações em curso, respeitando o segredo de justiça estabelecido pelas autoridades competentes. Quanto ao processo da esfera penal, com recurso em tramitação perante o Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, especialmente a determinação de prisão de alguns envolvidos, dentre estes o Cônego Egídio de Carvalho Neto, esclarecemos que todos detêm advogados habilitados, sendo estes responsáveis pela defesa e interesses de seus clientes.
No que diz respeito ao processo Canônico do Cônego Egídio de Carvalho Neto, informamos que o procedimento foi instaurado em 27 de setembro de 2023 e está seguindo seus trâmites normais.

Reforçamos nosso compromisso com a transparência e manifestamos total apoio às autoridades competentes, colaborando de forma irrestrita para que toda a verdade sobre os eventos em questão seja esclarecida.

João Pessoa, Paraíba, 17 de novembro de 2023.

Newton Marcelo Paulino de Lima
OAB/PB nº 9.403

Elias Belarmino de Araújo Júnior
OAB/PB nº 29.985

Ver tradução


Botão Voltar ao topo