Além do novo coronavírus, agora Chikungunya amedronta população

As doenças provocadas pelo mosquito aedes aegypti ( dengue, zica e chikungunya) estão em todos os muncípios. E já provocaram alguns óbitos, principalmente a dengue hemorrágica.

Não é democrático o que à população está sofrendo neste instante. Além do momento pandêmico provocado pelo novo coronavírus, agora as autoridades sanitárias da Paraíba vêm com uma alerta mostrando percentuais realmente preocupantes de casos de Chikungunya.

Ninguém merece. Um boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde informa um aumento de 354% nos casos de Chikungunya. Pior é saber que a sintomatologia dessa doença é muito semelhante à Covid, com grandes possibilidades de subnotificação.

Carla Jaciara, técnica responsável por esse setor da Secretaria da Saúde, disse que “é importante que a população fique atenta aos cuidados nas próprias residências”, alertando quanto “a limpeza dos ambientes como calhas, além de vedar bem a caixa d’água ou qualquer coisa que possa acumular água”.

As autoridades precisam fazer algo mais de que apenas campanha de conscientização. O carro fumacê é importante, mas é preciso descobrir os focos. A população também precisa colaborar, caso contrário, só vai piorar

SINTOMAS!

Os sintomas geralmente aparecem depois de uma semana de infecção. Febre e dor nas articulações surgem subitamente. Dor muscular, dor de cabeça, fadiga e erupção também podem ocorrer.

As pessoas podem ter:
Dores locais: atrás dos olhos, nas articulações, no abdômen ou nos músculos
Tipos de dor: forte nas articulações
No corpo: febre, calafrios, fadiga, febre alta, febre leve ou suor
No aparelho gastrointestinal: náusea ou vômito
Também é comum: dor articular persistente, dor de cabeça, inchaço dos gânglios ou irritação na pele
(Redação e Marcone Ferreira)
Load More Related Articles
.